Lisa Montgomery

Lisa Montgomery: quem foi a primeira executada em 70 anos nos EUA

Não executavam uma mulher nos EUA há 70 anos. Mas isso mudou hoje, dia da execução de Lisa Montgomery. Mas quem é essa mulher e o que ela fez?

Lisa Montgomery cometeu um crime hediondo. Por isso, se você não gosta de ler sobre crimes, ou se não está muito bem, eu recomendo que você pule a parte sobre o crime.

A execução foi por injeção.

Leia também: Pena de Morte no Brasil: por quê não existe?

O crime de Lisa Montgomery

Em 2004, Lisa Montgomery se aproximou da jovem Bobbie Jo Stinnett pela internet. A moça tinha 23 anos e estava grávida. No oitavo mês de gestação elas marcaram um encontro, pois Lisa afirmou que queria comprar um filhote de cachorro.

Entretanto, Lisa queria roubar o bebê que ainda estava no útero da mãe. Dentro da casa, a assassina estrangulou Bobbie e usou uma faca de cozinha para remover o bebê, mas a moça ainda não estava morta.

Bobbie retomou a consciência e lutou contra a agressora. Mas foi estrangulada. Lisa Montgomery levou o bebê para casa, pois queria fingir que era a mãe da criança.

Não foi difícil para a polícia descobrir a culpada. O julgamento foi rápido e ela foi condenada à pena de morte.

Apelos

Nos últimos meses muitos apelos foram feitos para que Lisa Montgomery não fosse executada. Os advogados de defesa pediram para que ela recebesse pena de prisão perpétua.

Desde os anos ela foi vítima de abuso sexual por diversos padrastos. O primeiro padrasto estuprava a irmã dela, enquanto Lisa – que tinha 4 anos – assistia aos abusos.

A irmã foi levada pelo conselho tutelar. Entretanto, Lisa ficou aos cuidados da mãe. Quando ela tinha 11 anos foi estuprada pela primeira vez.

Aos 14 anos seu padrasto montou um quartinho ao lado de um trailer para poder abusar da menina sem interrupções.

Quando a mãe descobriu culpou a menina. Mas não parou por aí. Além disso, ela e o marido começaram a cobrar para que homens pudessem estuprar a criança.

Leia também: Abuso: A cultura do estupro no Brasil – Livro

Por mais que muitas pessoas soubessem sobre os abusos, ninguém nunca chamou a polícia. Quando ela virou adulta os estupros deveriam parar, entretanto isso não aconteceu.

Aos 18 anos a mãe a obrigou a casar com o filho de seu novo namorado. O rapaz era violento e a engravidou 4 vezes em 5 anos. Mas mais uma vez a mãe resolveu se meter e a obrigou a fazer uma laqueadura.

Depois disso ela se separou e casou com outro homem. Foi a partir daí que a mulher começou a fingir que engravidada e perdia os bebês.

Portanto, os advogados afirmaram que ela tinha problemas psiquiátricos. Consequentemente, eles pediram para que ela ficasse a vida toda na cadeia.

Um juiz chegou a anular a pena de morte, mas o Supremo reverteu a decisão. Por isso, a execução aconteceu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *