mafalda quino

Mafalda – conheça melhor sua história

Ditadura Argentina

A Mafalda é uma das personagens mais famosas do mundo. Mas muita gente não sabe que ela foi criada em um período ditatorial. Talvez seja por isso que a personagem se tornou tão importante.

A ditadura argentina foi uma das mais violentas da América Latina. O assunto não é amplamente estudado nas escolas brasileiras, entretanto você já deve ter ouvido falar nas mães de maio.

Entre outros pontos de crueldade, a ditadura argentina foi marcada pelo sequestro de crianças. Enquanto os pais estavam sendo torturados, os filhos eram entregues para famílias de militares. Dessa forma, eles esperavam eliminar o comunismo do país.

Por isso, as mães de maio são as mulheres que se manifestam há anos na Praça de Maio em busca dos seus filhos.

Assim como tantos outros artistas e pensadores, Quino – criador da Mafalda, que faleceu nesta semana – se manifestou contra a opressão do regime, sendo deportado por isso.

Origem Mafalda

A Mafalda foi criada para uma campanha publicitária de uma marca de eletrodomésticos. Ela não era mais do que isso, até que Quino foi convidado a escrever tirinhas para um jornal.

Neste momento ele lembrou dos personagens utilizados na campanha e decidiu que eles seriam protagonistas no jornal.

Foi aí que a menina começou a fazer suas reflexões filosóficas capazes de fazer um adulto refletir. Aliás, é importante lembrar que a Mafalda pode ser lida por uma criança, mas seu foco de comunicação é com os adultos.

Afinal, Mafalda está em busca de um mundo melhor.

Mafalda mundo
Mafalda mundo

Mafalda em luta

As tirinhas tem sempre uma mensagem por trás do que está escrito. De uma forma muito inteligente, o Quino foi capaz de trazer para o universo infantil questionamentos e problemas que fazem parte do mundo dos adultos.

A personagem não fala em repressão, mas isso está presente a todo o momento. Ainda mais pelo fato de que nós estamos falando de uma menina.

Se nós analisarmos bem é assustador que a Mafalda seja tão atual. Mas infelizmente essa é a realidade. Por isso, só nos resta agradecer ao Quino e preservar essa menina tão filósofa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *