O conto – Filme

O conto é um filme de Jennifer Fox. Lançado em 2018, ele é completamente da Jennifer Fox, pois não é só dirigido por ela, é a história dela.

Antes de mais nada, quero dizer que não é um filme pra todo mundo. Se você está se sentindo meio deprimido, não veja essa obra. Se você foi vítima de abuso sexual e ainda não consegue conviver com isso, não assista agora.

O filme é sobre pedofilia. De uma forma muito cruel, ele retrata como é ter sofrido pedofilia sem saber. Achar que você foi amada por adultos que abusaram de você.

Jennifer Fox é uma mulher esclarecida, estudada e viajada. Ela é independente e forte. Mesmo assim, ela foi enganada pelo seu pedófilo durante toda a vida.

Pois mesmo adulta, ela continuou sem perceber que ele mentiu. Que ele abusou dela e da sua inocência infantil.

Por isso, a construção do filme é feita de forma perturbadora. Especialmente, pelo fato de que como ela não entendeu direito as coisas, a menina que existe na personagem parece estar “passando pano” pro abusador.

Entretanto, o que ela faz é representar o quão difícil é lidar com essa situação. E como as coisas podem ficar nebulosas na mente da vítima.

Um filme corajoso

“O conto” é corajoso em muitos aspectos. Primeiro pelo fato de, com certeza, não é fácil expor uma história de abuso dessa forma. Ainda mais se você é uma pessoa com um emprego de destaque perante o público.

Além disso, ela expõe uma série de sentimentos dela perante pessoas que ela ama. O motivo de ela nunca aceitar se casar com o namorado. O fato de que ela – até certo ponto – acredita que os pais têm um pouco de culpa pelo que aconteceu. O como ela sentia na época e como tudo aconteceu.

Além disso, a forma como ela resolveu contar a história também é corajosa. Afinal de contas, como eu disse, ela expõe os seus pensamentos. Coisas que ficaram guardadas com ela pela vida toda.

Ou seja, é praticamente uma pessoa que desnuda todo o seu “eu” perante a sociedade.

“O conto” é necessário

E o filme é de extrema necessidade para o mundo atual. Há uma quantidade absurda de crianças que ainda sofrem abuso sexual no mundo.

Também há o fato de que ela revela como é possível sofrer abuso e não sabe disso. Independente da sua escolaridade, da sua profissão e classe social.

A experiência da Jennifer, retratada nesse filme, é uma ajuda para outras vítimas. Além disso, é uma oferta de reflexão para pais e futuros pais que precisem salvar seus filhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *