o banquete

O Banquete – cinema nacional

Talvez você não se sinta tão à vontade ao assistir o filme “O Banquete”. É fato que você pode se cansar um pouco, entretanto, “O Banquete” é um filme muito interessante.

Lançado em 2018, muita gente não teve oportunidade de ver o filme no cinema. Como sempre, ele teve apenas um fim de semana para conquistar o público, em um número reduzido de salas e com poucos horários.

Por isso, as pessoas continuam sem ter tanta opção de filme nacional para ver no cinema.

Enredo

“O banquete” se passa no fim da década de 1980. O Brasil já é um país democrático, entretanto ainda enfrenta os resquícios de sua ditadura militar. E ela não se encontra apenas nas ruas.

Para comemorar o aniversário de casamento de um casal de amigos, Nora (Drica Moraes) oferece um jantar em sua casa. E, assim como acontece nas ruas, o clima na casa é de jogos de poder. Todos conhecem segredos, todos desejam mostrar quem é mais forte.

Os personagens passeiam pela filosofia, discutem a respeito de Platão, mas ao mesmo tempo, fazem fofoca. Eles fazem assédio e são assediados. Eles traem e são traídos e, além de tudo, eles se mostram poderosos e frágeis.

O banquete

É só segundo filme da diretora Daniela Thomas. E nessa obra ela prova que sabe criar a tensão no filme. Vale a pena assistir. Seus personagens estranhos são interessantes.

No começo do texto, eu disse que a obra poderia ser cansativa. Para mim, cada minuto me deu vontade de ver mais, de descobrir até que ponto eles seriam capazes de ir.

Além disso, é muito bom ver como o desconforto pode ser criado em uma obra cinematográfica. Em determinados momentos, você pensa que é um convidado do jantar e sente muita vontade de ir embora.

Deixo claro que não é um filme perfeito. Ele tem muitas falhas, porém minha intenção aqui não é fazer uma crítica e sim mostrar que essa obra nacional existe e merece ser assistida.

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *