Experimento Milgram

Experimento Milgram: devemos obedecer sempre?

Nós somos criados para respeitar hierarquias. Sempre foi assim. Obedeça seus pais de forma cega, essa é a primeira lição. Depois disso vem os professores, as autoridades, o governo e, em última instância, seu chefe. O experimento Milgram surgiu para entender até que ponto isso nos afeta.

Todos os pesquisadores envolvidos no estudo se surpreenderam com os resultados. Aliás, os resultados apresentados surpreendem até hoje. Assim como o experimento da prisão de Stanford, ele ainda é estudado.

O experimento é uma forma de mostrar que nem sempre obedecer é uma coisa boa.

Quem foi Stanley Milgram?

Stanley Milgram foi um psicólogo graduado na Universidade de Yale. Judeu, ele era filho de imigrantes que fugiram para evitar os nazistas. Por isso, é fácil compreender o motivo de ele querer entender até que ponto as pessoas vão por respeito à hierarquia.

Milgram foi o idealista de uma série de pesquisas. Ele queria entender como o ser humano funcionava como membro de um grupo, por qual motivo nós temos a necessidade de ser parte de um aglomerado.

Provavelmente, você já ouviu falar a respeito de um dos experimentos dele. Ele colocou um aluno para parar em uma via movimentada e ficar olhando para o céu. Isso fez com que uma grande quantidade de pessoas ficassem paradas, olhando para o céu, sem ver nada de especial.

Milgram morreu em 1984 e deixou uma quantidade grande de estudos para as próximas gerações. O mais importante foi o experimento de obediência que acabou ficando conhecido pelo seu nome.

O experimento Milgram

Esse é um dos experimentos mais controversos e reveladores da sociedade. Ele é controverso pelo fato de que muitos acreditam que os pesquisadores influenciaram na pesquisa ao mentir para os voluntários. Entretanto, a pesquisa jamais poderia ter sido feita de outra forma.

A pesquisa foi feita da seguinte forma:

Entravam duas pessoas em uma sala “o professor” – voluntário e que não sabia de mais nada – e o “aluno” – que era parte da equipe, mas o professor não sabia disso. Assim que a pessoa chegava ao seu posto, ela levava um pequeno choque, de 45 volts. Além disso, ela recebia as instruções:

O estudante escutaria uma série de pares de palavras, como “menina bonita”. Depois disso, o professor iria perguntar quais são esses pares e, caso o aluno errasse, o professor administraria choques, aumentando a intensidade até chegar a 350 volts.

A pessoa não estava recebendo choques, porém o professor não sabia disso. Ele efetivamente acreditava que estava dando choques no aluno. Surpreendentemente, 65% dos voluntários continuaram com os choques até o final da pesquisa, mesmo que o aluno gritasse para que o experimento fosse interrompido.

Em 2010, o experimento foi replicado apresentando os mesmos resultados. Além disso, na França a pesquisa foi refeita perante uma platéia e aí a situação se tornou ainda pior. 80% dos voluntários foi até o final do experimento.

O que isso nos mostra é que sim, nós devemos respeitar as hierarquias. Mas desde que isso não fira nossos princípios enquanto seres humanos. Somente isso pode evitar que coisas, como o holocausto acontecem novamente.

Quem quiser saber mais, pode assistir ao filme que tem o nome do experimento.

Espero que vocês gostem do post de hoje. Enviem email para [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *