AI – 5

AI – 5 50 anos |Exposição Gratuita

No fim de semana eu fui em uma exposição sobre os 50 anos do AI-50. Ela está acontecendo em São Paulo – no Instituto Tomie Ohtake – e é gratuita.

A exposição

Por mais que eu já tenha estudado algumas coisas sobre a ditadura, confesso que essa exposição me fez ver o quão pouco eu sei. A verdade é que a história é recheada de tantas histórias, que nossa vida precisa ser recheada de estudo.

Recheada de entrevistas e elementos visuais, a exposição é perfeita para observadores. Além disso, não há necessidade para preocupação, não há excesso de fotos violentas. Obviamente, é impossível falar de ditadura e deixar de fora as torturas, entretanto, isso não é visualmente exagerado.

Os depoimentos – que podem parecer longos – valem muito a pena ser ouvidos. Pessoas que resistiram ao regime estão dispostas a revelar seus atos e explicar como as coisas aconteciam. Dentre os mais conhecidos, há uma entrevista do músico Gilberto Gil.

Tem realmente muita coisa interessante, porém acredito que se eu encher o post de fotos e citações, pode perder um pouco a graça. Por isso, não me prolongarei mais.

O que foi o AI – 5?

No dia 13 de dezembro de 1968, o governo militar anunciou o Ato Institucional nº 5, o mais rigoroso da ditadura.

Definido durante o governo do general Costa e Silva, o AI-5 vigorou até dezembro de 1978.

O novo ato institucional mantinha as decisões dos atos anteriores. Além disso, ele aumentava os poderes do presidente e dificultava a vida dos resistentes.

Considerava-se que qualquer fato que “perturbar-se a ordem” seria contrário ao governo militar. Qualquer pessoa que fosse presa por crimes como esse – considerados crimes políticos – seriam julgadas por uma corte militar, sem direito a habeas corpus e sem poder recorrer da decisão.

No final do primeiro ano do Ato Institucional 5, uma série de políticos já haviam sido cassados. E os poderes estavam cada vez mais centrados nas mãos do presidente.

Se interessou?

A exposição está no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo.  Ela está em disponível de 5 de setembro até 4 de novembro de 2018.

Horários: Terça – domingo, das 11h às 20h.

Entrada Gratuita

Endereço: Av. Faria Lima 201 – Entrada pela Rua Coropé 88 – Pinheiros SP

Próximo ao metrô Faria Lima (linha amarela)

Me digam depois se vocês foram e o que acharam. Qualquer dúvida, comentário sobre os posts ou sugestões são muito bem vindas. Basta enviar e-mail para diferentã[email protected]

Sigam as nossas redes:

Instagram: https://www.instagram.com/diferentaocultural/

FanPage: https://www.facebook.com/Diferentão-Cultural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *