Relacionamentos à distância

Relacionamentos à distância e o filme 10.000 km

A internet nos possibilitou muitas coisas. Hoje, eu consigo manter contato com meus amigos do ensino médio, de uma forma que minha mãe não conseguiu manter com os dela? Mas, até que ponto é possível manter relacionamentos à distância?

No filme de estreia do cineasta espanhol Carlos Marques-Marcet é justamente isso que está em discussão. É possível manter um relacionamento amoroso mesmo que o casal fique um ano afastado por 10.000 km?

Enredo 10.000

Alex (Natália Tena) e Sergi (David Verdaguer) estão juntos há anos. Eles moram juntos e estão tentando engravidar. Porém, tudo muda quando Alex recebe a resposta de uma bolsa de estudos à qual ela havia se candidatado. Ela, que é fotógrafa – mas trabalha como professora de inglês na Espanha – conseguiu uma bolsa para desenvolver seu aprendizado de fotografia. O problema? O curso é nos Estados Unidos e tem duração de 1 ano.

Tá, mas e aí?

Para muitas pessoas, a forma como o filme é construído pode causar estranheza. O começo do filme retrata como é a vida desse casal, a intimidade, o cotidiano e como o trabalho de professora está frustrando Alex.

Depois que os dois estão em países diferentes, muitas das cenas são gravadas pela câmera do computador, deixando o telespectador com a mesma perspectiva que uma pessoa teria a conversar com a outra por Skype.

O filme é muito verdadeiro ao tratar as relações humanas e, em momento nenhum se torna brega. O casal não parece coisa de filme, muito pelo contrário, são reconhecíveis em qualquer relacionamento.

No começo, o casal tem todos os assuntos do mundo para conversar, como se eles ainda estivessem morando juntos, porém Alex nunca sai de casa.

No decorrer do filme, o namorado chega a incentivá-la a fazer amigos, entretanto, quando isso acontece, a relação dos dois se torna mais instável.

Além de tudo, existem as dificuldades fisiológicas do casal. Afinal de contas, manter um relacionamento à distância, também significa abdicar, por um tempo, da vida sexual. O casal chega a tentar, mais de uma vez, fazer sexo online, mas isso 10se torna muito bizarro ou não tão prazeroso quanto eles gostariam que fosse.

Além disso, como é possível conciliar uma vida de solteiro comprometido? Esse termo pode parecer estranho, mas nós precisamos pensar da seguinte forma: os dois são comprometidos, mas não podem se trancar em casa e não conviver com outras pessoas. A partir do momento em que eles são convidados para festas, por exemplo, eles precisam ir sozinhos – como solteiros – mas sendo parte de um relacionamento.

E não é só isso. Nesse filme nós também estamos lidando com o ato de “cuidar da vida do outro” pelas redes sociais. Como é saber que o seu parceiro está em uma festa, sem saber com quem e tendo apenas sua palavra como certeza de fidelidade?

Com as atuações sensíveis de Natália – que é conhecida por seus papéis em Harry Potter e Game of Thrones – e de David, além de uma direção lindamente feita por Carlos, 10.000 km é um filme de amor, mas é também um filme com uma realidade crua e  que vale a pena ser assistida.

Vou colocar o trailer, mas infelizmente só o encontrei em espanhol e com legendas em inglês.;

Espero que vocês gostem do filme e da dica. Se quiserem comentar algum post ou dar sugestões de pauta, basta enviar um e-mail para [email protected]

Fiquem bem!

Thaís

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *